terça-feira, julho 11, 2006

Sinergias presidenciais (e mais)

Quem por qualquer racionalidade, ou perdoem, qualquer irracionalidade, ainda teime em observar jogos de futebol profissional, como uma dádiva dos deuses, só pode mesmo andar muito distraído.

Não entrei naquele grupo, que desde cedo considera a religião como o ópio do povo, nem sequer naquele outro, que perfilhava a etimologia, dos 3 Efes (F).

Mas pressinto que as sinergias louvadas por gente muito mais “culta” e até com formação académica superior à que detenho, não passam de meras burrices, que hoje tal como ontem, nos tentam iludir sobre as magnitudes do futebol enquanto esperança de vivência.

Uma realidade são as pelejas, hoje com bola, mãos e pés e até cabeçadas, na dita ou fora dela. Pelejas que aglutinam multidões, tal como outrora as ditas, envolviam as mesmas multidões, mas com muito mais sangue a correr pelos campos ou ruas, com elevadas sinergias, por vezes sem bandeiras pespegadas aos ventos, mas com o mesmo fervor pátrio, que tantas vezes acabava por escorraçar os inimigos da pátria para fora do solo Português.

Uma outra realidade é o quotidiano dos Portugueses.
E esta não se compadece com fervores pátrios, que lhe não garantam o pão, a cidadania plena, a saúde, a educação, uma vida desinibida, o respeito pela sua vivência.

2 Comments:

At 11:41 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Nem mais. Lamentavelmente, a história é um filme que já vimos. Sempre uns poucos a esfolarem em vida todo um povo.
Obrigado pela visita e Cpts.
http://desgovernos.blogs.sapo.pt/

 
At 10:14 da tarde, Anonymous paulo said...

Andas muito activo e obrigado pela sua honrosa visita.
O meu abraço

 

Enviar um comentário

<< Home